«Fardo» por Peripécia Teatro

30 de outubro, pelas 21h30

29 de outubro de 2021
As máscaras de madeira do Carnaval de Lazarim são o ponto de partida da conceção deste espetáculo.
A criação assenta no jogo teatral da máscara, também ele ancestral, e originário nos ritos mais primitivos da humanidade e dos rituais para-teatrais, que permite construir um espetáculo de carácter tremendamente poético e universal.

As máscaras são exploradas como elementos quase mágicos, que parecem fazer-nos encontrar, debaixo do húmus da nossa cultura, a semente de um imaginário ancestral e vibrante que parece germinar no corpo dos homens que as envergam e desabrocham nas suas cabeças, de forma espontânea e surpreendente.No princípio nada mexe, tudo dorme. Tudo morto… Ou tudo sonha: É Inverno. Fardos de palha, árvore seca, lenha, máscaras. Tudo em letargo, à espera da vida.

Morrem aldeias. Morrem aqueles que ficam nelas. Mas antes, dormem e sonham.

FARDO é um ritual de Inverno. Um Entrudo feito sonho. Um ritual de passagem entre o sonho e o térreo, entre a vida e a morte, entre o nada e o riso, que espera o despertar de uma Primavera.

Um sonho reparador onde se reúnem forças para um novo ciclo. Um ciclo de melhores colheitas. Um ciclo mais justo. Um ciclo mais perfeito.

FICHA TÉCNICA:
Criação, Dramaturgia e Interpretação: Noelia Domínguez e Sérgio Agostinho
Co-criação e direcção: Hernán Gené
Espaço Cénico: Peripécia Teatro
Figurinos: Peripécia Teatro
Iluminação: Nuno Tomás
Produção Executiva: Sara Casal e Patrícia Ferreira

Duração Aproximada: 75 min.
Público em geral: M/ 12

Adicionar comentário