Voltar à primeira página

Guia do Caminho Português


A ATC organiza os Caminhos de Santiago desde 2004 e o Caminho Português foi o primeiro a ser organizado, contando com um grande número de participantes.

A escolha do caminho a fazer é sempre uma difícil tarefa, no entanto, e tendo em conta a história e os seus participantes, bem como o número de quilómetros a percorrer, dependendo do local de partida, o Caminho Português é uma opção importante para muitos dos indecisos. O Caminho Português, com partida do Santuário do Senhor do Socorro, tem ao longo do seu percurso paisagens magníficas com a Serra da Labruja, a ponte Românica sobre o Rio Lima, a fabulosa muralha de Valença do Minho bem como a sua Catedral. A passagem para Tui é sempre simbólica, na medida em que é o local onde se encontrava a Fronteira entre Portugal e Espanha, passando-se assim pela Ponte Ferro-Rodoviária de Valença, seguindo depois pelo centro de Tui onde temos oportunidade de visitar o Casco Histórico e os monumentos mais importantes da cidade, como a Catedral de Tui e o Monumentos dos “Represealiados”.

Depois de Tui ainda podemos encontrar a Ponte das Febres, uma ponte Medieval, passando ainda por duas localidades antes de entrar no Polígono Industrial de Porriño, onde felizmente agora existe um percurso alternativo que nos retira da estrada principal. Esta talvez a etapa mais dura, no entanto amenizada com a alteração anteriormente referida. Após chegada a Porriño, podemos ficar no Albergue Municipal, muito bem situado junto ao Rio e admirar os vários monumentos e igrejas ou até a Casa da Câmara que se assemelha a um Castelo. Depois o caminho faz-se sempre com vista para a Baía de Vigo em direção a Redondela. Aqui encontrará também um albergue, e alguns monumentos a visitar para depois seguir entre campos e vinhas a caminho de Pontevedra. Em Pontevedra poderá visitar o Santuário da Virgem Peregrina e o Convento de S. Francisco antes de iniciar o caminho até Caldas de Reis. Em Caldas de Reis poderá encontrar a Fonte de Tivo onde poderá mergulhar os pés e se recompor de algumas dores mais desconfortáveis nos pés.

O caminho agora segue em direcção a Padrón, passando ao longo do Rio Valga, e onde poderá admirar a beleza de alguns bosques e antigos moinhos, bem como de pontes medievais de origem romana em Pontecesures. Cada vez mais perto a Catedral de Santiago, e entrando na cidade podemos apreciar a beleza dos jardins e edifícios da cidade, mesmo antes de alcançarmos a Catedral de Santiago de Compostela e onde poderemos abraçar o Santo e maravilharmo-nos com a tua a beleza interior e exterior da Catedral e dos monumentos circundantes.

“Peregrinar é um acto de Fé. É um Caminho e como tal pressupõe um itinerário, mas não se esgota nele. Tem que se lhe associar uma intenção e um objectivo, que alimentam a motivação e despertam a busca interior, promovendo assim o enriquecimento espiritual e cultural.

Ainda que entre as razões do peregrino actual já não se encontre a necessidade de se redimir dos pecados cometidos, o Caminho continua sendo uma experiência em que a componente espiritual tem um papel fundamental. Caminhamos ao ar libre para poder chegar ao nosso interior, porque não há nada que nos leve tanto à reflexão como o exercício de caminhar.”


 
Menu » Caminhos de Santiago
Notícias » Caminhos de Santiago
Campeonato de Atletismo Adaptado de Pavilhão

18 de Janeiro de 2018

Festa de Natal do Fit Club ATC

20 de Dezembro de 2017

Festa de Natal do Fit Club ATC

14 de Dezembro de 2017

Caminho de Roma a Santiago

22 de Junho de 2017

Caminho Marítimo

22 de Maio de 2017

Caminho Marítimo

27 de Março de 2017

Certificado: n.o 2007/GEP 2970
Certificado: nº 2007/GEP 2970
DIRECÇÃO-GERAL DO EMPREGO E DAS RELAÇÕES DE TRABALHO
Instituto do Emprego e Formação Profissional
Autoridade para as Condições do Trabalho
Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres